O tucano está vivo e voando alto!

psdb-logoOntem, o PT comemorou 33 anos de existência e afirmou o exercício de uma década de governo popular e democrático. Será? Creio que os adjetivos não são tão apropriados. Parece-me que existem pontos que merecem atenção. Tais temas foram brilhantemente tratados pelo senador Aécio Neves. Como dito pelo político mineiro, caberia ao PT revisitar sua história, pois com origens na redemocratização, parece ter sido seduzido pelo “charme medonho” do autoritarismo.

Lembremos, como esclarecido pelo referido senador, que o PT sempre preferiu o próprio partido a qualquer outra coisa, até mesmo ao país. Prova disso é a ampla cobertura, sim, cobertura dada aos correligionários mensaleiros. Apoio que chegou a motivar a realização de “vaquinha” para o pagamento das multas impostas aos réus pelo STF. Ora, não seria esse o maior exemplo de preferir o partido ao país? Ah, sim, claro! Segundo os mais radicais, o STF estava errado…Eles é que sempre estão certos! Por isso que preferem desmerecer um interlocutor a travar um bom debate!

O que mais assusta nessa “comemoração petista” é a forma como decidiram comemorar. Distribuíram cartilhas comparando os governos petistas com os anteriores e, mas especificamente, com os dois governos FHC. É impressionante como o partido, ao invés de relembrar a própria história, prefere continuar a atacar adversários. Esse fato, na esteira do que disse Aécio Neves, apenas serviu de convite ao PSDB para “participar” dessa festa, entregando de presente aos petistas a transparência. A transparência, por tantas vezes ignorada ao longo dos últimos dez anos, a falta de comunicação entre governo e sociedade, apenas fez retroceder a democracia em nosso país.

Os avanços dos últimos anos não pode ser ignorado e, creio, meus textos neste blog dão conta disso. Contudo, jamais poderá ser atribuído à inteligência dos governantes das últimas décadas. Nos últimos dez anos, mais do que inteligência, a esperteza regeu as relações governamentais. Esperteza que teve momentos de clímax no esquema do mensalão e nos desmandos em relação à coisa pública, empregando a “companheirada” e deixando de lado o princípio da eficiência, sem o qual não há prestação estatal que se mostre útil à construção de um Estado verdadeiramente democrático.

O governo petista se valeu das agências reguladoras para controlar de forma partidária inúmeros setores estratégicos de nosso país. Promoveu a entrega de importantes cargos a indivíduos sem qualquer competência. Ampliou, é verdade, o sistema de distribuição de recursos, mas não se preocupou, em momento algum, com a contrapartida. Tirou parte dos miseráveis da miséria, mas não lhe ensinou o caminhou do empreendedorismo, nem a importância da instrução, da educação, enfim, da formação. Criou currais eleitorais!

Mostrou-se, por diversas vezes, adepto do populismo. Deu origem a um movimento messiânico que se mostra avesso à democracia, recriando “caudilhos” em nosso país. Deixou a razão de lado para governar com base na emoção. Emocionados, os brasileiros mais desatentos e com menor instrução, caem na ilusão segundo a qual as coisas andam bem.

O discurso de Aécio Neves é absolutamente essencial a todos os brasileiros. A ousadia petista, no sentido de agir sem humildade e capacidade de reconhecimento, fazendo uma festa que, mais do que comemorar a trajetória do partido, procura destruir adversários, os quais, na visão petista, são inimigos que merecem ser abatidos, acordou os tucanos. E acordou recebendo um “bom dia” de parte daquele que, atualmente, melhor representa os anseios da Social Democracia, o tucano mineiro, Aécio Neves. Este, presente na política desde a redemocratização, tendo os genes de Tancredo, mostrou-se capaz de, com inteligência, e não com esperteza, pontuar 13 dos inúmeros erros do PT.

Dentre todos os pontos levantados, fixo-me no autoritarismo. Alas do PT, como aquela capitaneada por seu atual presidente, Rui Falcão, foram geradas por meio do germe autoritário. O PT toma atitudes claramente intolerantes. Tais alas não se habituaram à dialética, ao contraditório da vida política democrática. Parece que o partido de Lula prossegue, como demonstrado pelo escândalo do mensalão, com a lógica de perpetuação no poder, através de uma verdadeira “ditadura velada”, que tenta se legitimar pela emoção e assistencialismo e não por atitudes racionais e democráticas.

Dois outros temas merecem destaque. O primeiro diz respeito ao barato populismo realizado com a propaganda governamental sobre a redução da conta de luz. Dividindo a Nação entre “nós” e “eles” – como já havia comentado neste blog -, o PT vende a luz barata, mas não demonstra a sobrecarga que isso acarreta aos Estados, muitos dos quais detentores de empresas geradoras de energia. A glória vai para o governo federal e o ônus fica com os Estados e sua população. O segundo tema, refere-se à tentativa de instituir o controle da mídia. Será que políticos que flertam com o autoritarismo devem ser os “capitães” do controle social da mídia? Será que esse germe antidemocrático não implicará restrições aos mais essenciais direitos de liberdade?

O senador Lindbergh, do Estado do Rio de Janeiro, após o pronunciamento de Aécio Neves, tentou ofusca-lo, mas, uma vez mais, valeu-se da emoção e não da razão. Disse que Aécio não havia falado em povo e em pessoas. Triste perceber, porém, que o senador carioca não vislumbra em temas como inflação, desindustrialização, autoritarismo e seca a noção do que seja povo. Isto foi esclarecido por outro brilhante tucano, o senador Cássio Cunha Lima. Este, advertiu que todos os temas abordados por Aécio Neves têm direta relação com o povo. O senador petista, porém, seguiu a cartilha de seu partido e não ouviu o discurso de Aécio. O PT não conhece a diferença entre popular e populista!

Resta claro, pois, que parte significativa do PT não sabe ouvir e refletir. Age sob violenta emoção e se perde nesse gesto emocional que pode custar muito caro ao país. Mais do que agir, o PT é especialista em reagir. Reage desprovido de cérebro e utilizando meios absolutamente desproporcionais. Essa ação ou reação fica evidente no caso da blogueira cubana que, em visita ao Brasil, foi hostilizada por militantes petistas. O amor dos petistas a Fidel é maior do que o amor à democracia, a ponto de hostilizarem uma mulher que vive sob uma das mais cruéis ditaduras que o mundo conheceu. A conduta referida apenas apresenta a irracionalidade com a qual a maior parte dos petistas se dispõe ao debate.

Em meio a tudo isso, um fato me traz imensa alegria. O discurso de Aécio Neves demonstra que o tucano está vivo e, mais do que tudo, voando alto. Está cantando bonito pela voz do “tucano das Minas Gerais”. Apenas para ilustrar minha satisfação com o discurso de Aécio, valho-me desta “rápida e singela fábula”:

“Um tucano vivia calado e acuado por uma ave de rapina de plumagem vermelha. Esta, agia no escuro, às ocultas. Mantinha seu reinado com tramoias deploráveis que apenas desonravam sua espécie.

Um certo dia (ontem), o tucano descobriu que, apesar da propaganda da ave de rapina, estava em plenas condições de voo. Voou de Minas Gerais para o Planalto Central, mostrou que não mais estava acuado pela ave de plumas vermelhas e que seu colorido tem muito a agregar à paisagem nacional.

O tucano acabou descobrindo, por meio da eterna provocação da ave vermelha, que seu bico não estava selado e que suas asas jamais estiveram amarradas. A ave vermelha, especialista e agir e reagir, não acreditava no poder que seus atos trariam à vontade tucana”.

O que mais me deixa satisfeito é o fato de que a “voz tucana” não surge de velhos e desgastados quadros que a cada dia mais se afastam da Social Democracia, mas sim por intermédio das palavras de Aécio Neves, um jovem e preparado quadro da Social Democracia. Ao lado deste, outro tucano se juntou ao grupo de maneira altiva e sinérgica. Trata-se de Cássio Cunha Lima, um jovem político que também representa a renovação. Não tenho a menor dúvida de que será pelas mãos desses jovens quadros e de muitos outros que o PSDB se reerguerá e conseguirá manter o voo do tucano que já fez tão bem ao Brasil!

Luiz Fernando de Camargo Prudente do Amaral, Advogado, Professor Universitário, Doutorando e Mestre em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Especialista em Direito Público pela Escola Paulista da Magistratura, Especialista em Direito Penal Econômico e Europeu pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra-Portugal, Presidente da Comissão de Direito Econômico da 93ª Subseção da OAB/SP – Pinheiros, associado ao Instituto Brasileiro de Ciências Criminais – IBCCRIM e à Associação Nacional de Direitos Humanos, Pesquisa e Pós-Graduação – ANDHEP, autor de livros e artigos jurídicos, mantenedor do site http://www.cidadaniadireitoejustica.wordpress.com.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: