O negócio do PT é bicicleta…Sempre se valem das “pedaladas”

PedaldasLer as notícias publicadas nos jornais apenas atesta que o PT tem uma relação bastante próxima com as bicicletas. Pena que tal relação não seja positiva. O prefeito Haddad é “fã dos pedais”. Eu também sou. Ao longo de minha infância, pedalar, no sentido esportivo, era uma de minhas atividades favoritas. Quando as ciclofaixas foram introduzidas, rodei por elas por algum tempo, mas apenas aos domingos. Nessa época a cidade não estava inteiramente pintada de vermelho. Hoje, pedalar em SP é uma aventura. O prefeito expõe ciclistas, ainda que boa parte deles acredite estar segura nas ciclovias que dividem espaço com ônibus biarticulados.

Não tenho NADA contra a criação de mobilidade por meio de ciclovias. Ao contrário, acredito que representam importante tema para uma cidade como São Paulo. Deve ser seria e responsavelmente avaliado. O que me aflige, porém, é a maneira como elas têm sido implantadas. Não me parece que exista efetivo planejamento. Ouso pensar que Haddad apenas se apoia nos ciclistas como forma de criar fato político. Mobilidade urbana pede estudo e, a meu ver, incluída na pasta de transporte público, segue a sorte de toda essa pasta. Está desorganizada.

Tenho transitado por toda a cidade de São Paulo e posso atestar que o projeto não conta com o estudo necessário. Atualmente, os “pontos altos” das ciclofaixas e das ciclovias em São Paulo são dois: alto custo – alto e suspeito – da “tinta” para pintar o asfalto e a inexistência de planejamento que permita a integração dos diversos modais de transporte. Haddad é um jovem prefeito repleto de ideias que implanta tudo aquilo que ouve e vê. Planejamento é questão para um segundo plano.

Todavia, a idolatria por “pedaladas” não está apenas na cidade de São Paulo e no asfalto vermelho da Capital paulista. A presidente Dilma parece ter aderido. As “pedaladas” de Dilma, porém, não são “sobre uma magrela”. Dilma adotou as pedaladas como forma de governar. Por mais que o TCU já tenha apontado as irregularidade de suas “pedaladas” – nada esportivas – ela prossegue na prática.

A irresponsabilidade do governo municipal com sua flagrante falta de planejamento vira “fichinha” perto daquela que vemos no plano federal. A chefe do Executivo nacional apenas atesta que nada tem de “gerentona”. Ao contrário, está cada vez mais clara sua ineficiência para a gestão pública. Dizem que Dilma “faliu uma loja de R$ 1,99”. Pelo visto, nada aprendeu. Leva a economia brasileira com pouca seriedade. Donas de casa têm cuidado muito maior com suas finanças, sobretudo com a inflação que corrói os salários.

Entre “uma pedalada e outra” do governo Dilma, Lula (O Criador), “pedala” para longe de sua criatura. Critica o PT e o governo federal como se não tivesse nenhuma responsabilidade a respeito do que vivemos. As cidades no Brasil precisam valorizar quem pedala por esporte e para se locomover. Precisam planejar a mobilidade urbana antes de pintar as vias públicas e afirmar que sobre a faixa vermelha “só andam as bikes”. Enquanto isso, Dilma se vale das “pedaladas” cruéis que deixam o Brasil à beira da falência. Pedaladas de um lado ou de outro, ambas estão erradas. Uma asfixia a cidade e a outra acaba com os cofres públicos em prol de um projeto partidário. Triste situação a nossa! Precisamos nos engajar e mudar essa realidade.

Luiz Fernando de Camargo Prudente do Amaral, Advogado, Professor da Faculdade de Direito da Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), da Faculdade de Direito da Universidade Paulista e de programas de pós-graduação em instituições de  ensino superior, Doutorando e Mestre em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Especialista em Direito Público pela Escola Paulista da Magistratura, Especialista em Direito Penal Econômico e Europeu pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra-Portugal, Presidente da Comissão de Direito Econômico da 93ª Subseção da OAB/SP – Pinheiros, associado ao Instituto Brasileiro de Ciências Criminais – IBCCRIM e à Associação Nacional de Direitos Humanos, Pesquisa e Pós-Graduação – ANDHEP, autor de livros e artigos jurídicos, mantenedor do site http://www.cidadaniadireitoejustica.wordpress.com.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: