Vítimas da democracia? Não! Réus na democracia!

Briga Lula DilmaA esquerda radical é especialista em desvirtuar os fatos. O livro “1984” de George Orwell é a maior prova disso. Após o Relatório Khrushchov que evidenciou os crimes da esquerda totalitária capitaneada por Stalin, a ideologia de Gramsci surgiu de maneira cristalina. A reconstrução da História, a partir de uma narrativa que dividia o mundo entre os morais e os imorais, entre os que defendiam uma causa social e os que cultivavam o individualismo, serviu à “lavagem cerebral” dos amantes do comunismo-socialismo.

Essa passagem é antiga e exige superação! Porém, o governo Dilma a traz à tona. Dizem que Dilma e seus apaniguados chegaram a cogitar o Estado de Defesa. Para defender o quê? O PT? Para isso o mecanismo constitucional não se presta. A falaciosa divisão da sociedade não se materializa na realidade. Há 1/5 da população, mantida com dinheiro público e na base do “sanduíche de mortadela”, que ainda defende Dilma. Os outros seguem firmes na certeza de que Dilma há de sofrer o processo de impeachment.

Talhada para regimes totalitários, Dilma usa o Planalto para discursos partidários. Adjetiva de golpista quase 80% da sociedade como se fosse “vítima da democracia”. Não! Vítima somos nós, cidadãos! Dilma é tudo aquilo que se mostra o avesso da política. É pessoa desprovida de resiliência e repleta de condescendência pela “causa partidária”. Em suas veias corre o sangue que movia Stalin. Em sua mente há os vícios de Brizola, sem qualquer resquício de virtude.

O governo federal não pode fazer o que tem feito. Suas atitudes apenas demonstram a aversão ao regime democrático. Qualquer presidente consciente de seu papel teria renunciado. Dilma, movida por uma espécie de “alma guerrilheira”, não tem grandeza para compreender a situação presente. Coloca-se, de maneira esquizofrênica, como presidente de um país que não existe. Luta para impor suas ideias sem conhecer o valor do diálogo. Comete crimes para preservar seu mandato, desconhecendo o que há de republicano no Brasil.

Felizmente, oportunistas e desprovidos de caráter começam a notar que não podem acompanhar o “golpe de Dilma”. A força popular os fará votar a favor do impeachment e lhes negará a recondução aos cargos que ocupam. O povo nas ruas é o que move e incomoda os políticos, conforme as lições de Tancredo Neves e Ulysses Guimarães. O tempo de Dilma se esgotou! Não bastassem os evidentes crimes de responsabilidade, a presidente não demonstrou qualquer indicio de habilidade política. Encastelou-se!

Agora, no ocaso de seu governo, Dilma tenta se apegar aos apaniguados que sobraram. Apoia-se no seu” ninho”: o PDT. Tenta forjar a ideia de golpe, sem notar que golpe é sua permanência à frente da Presidência da República. Constrói a História como vítima, quando, na verdade, é ré! É parte da opressão que tanto disse condenar! É artífice de um modelo criminoso de poder que usa dinheiro público e se vale da miséria.

O Brasil sobreviverá ao impeachment e dependerá de homens probos para a realização de profunda reforma política. Isso pede a participação de todos nós, inclusive nos pleitos eleitorais. O apoio social de Dilma não é e jamais será maior do que a aplicação da lei e a garantia da ordem. Dilma se equivoca desde seu primeiro mandato, justamente por desconhecer as formas democráticas de construção política. Dilma é prova de tudo aquilo que um político não deve ser. Sua inabilidade foi útil! Trouxe à baila a podridão da política brasileira que, segundo os mandamentos constitucionais, deverá ser afastada da realidade nacional. As instituições prosseguirão trabalhando!

Luiz Fernando de Camargo Prudente do Amaral, Advogado, Professor da Faculdade de Direito da Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), da Faculdade de Direito da Universidade Paulista e de programas de pós-graduação em instituições de  ensino superior, Doutor e Mestre em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Especialista em Direito Público pela Escola Paulista da Magistratura, Especialista em Direito Penal Econômico e Europeu pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra-Portugal, Presidente da Comissão de Direito Econômico da 93ª Subseção da OAB/SP – Pinheiros, mantenedor do site http://www.cidadaniadireitoejustica.wordpress.com.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: